Riga, Letônia

Saímos de Vinius, capital da Lituânia as 11h do domingo, a cidade estava lotada.

A viagem foi de 3h, as estradas com um mix de pistas simples com duplas.

Chegamos no hotel mais ou menos as 15h e mortos de fome, o Wilson logo viu um restaurante ao lado do Hotel e foi nele que almoçamos.

Restaurante Lido Alus Pageabs

www.lidopiegade.lv

Self service.

Popular.

Se você está a busca de conhecer os hábitos e a gastronomia caseira este é o lugar.

Entrando já direto na fila do bandejão.

A fila inicia com as bebidas, se perder esta chance vai ficar sem nada ou terá que voltar ao início da fila novamente.

A seguir temos os enormes tachos com a as inúmeras comidas típicas e as saladas.

Depois as sopas quentes e frias e no final um grelhado.

Aqui vê-se que a base da alimentação é a batata e a fritura.

Mas nem tudo está perdido e tem e salvação, existe o arroz Serrasceno e cuscuz.

No caixa você pode recuperar um pouco do que perdeu, o início da fila aqui tem a opção de pedir vodka ou vinho em garrafinhas de 1 dose.

A comida é saborosa mas vem fria apesar de estar sendo feita na hora.

Na verdade este é um restaurante onde come -se bem com fartura e barato, muita gente frequenta e é bem popular.

Valeu conhecer.

Nosso Hotel Radisson Blu , https://www.radissonblu.com/en/latvijahotel-riga, Cuidado existem 3 ou 4 Radisson nesta cidade.

Este especialmente é bom o apartamento acomoda bem, sem nada em especial.

Não utilizamos os serviços do Hotel por isto não posso avaliar.

A localização é ótima, próximo de tudo e fácil caminhar, comer e conhecer.

Elizabetes Street 73, Riga LV-1050 Látvia.

Estamos em frente à praça, e nela durante o verão tem uma feirinha de artesanatos e doces caseiros que vale a pena, adorei os diversos tipos de mel artesanatos em linho que são maravilhosos, além de muitos outros produtos.

A Rafa e eu saímos para andar pela cidade mas como todo domingo tudo estava fechado e a cidade era quieta, conseguimos um mercado e que delícia!  Centenas de tipos de peixes de várias formas, e caviar e na saladas os brotos são a nossa festa.

Voltamos para o Hotel e nos deliciamos, com a feira.

No dia seguinte, contratamos uma guia, uma senhora já com certa idade aposentada, que nos contou o porquê de ser guia aqui na Letônia.

Nossa guia a Tatiana aposentada, engenheira com uma história emocionante.

Recebe € 200,00 ao mês.

De origem russa foi enviada pelos Russos para trabalhar no mistério durante sua vida toda , ao aposentar, casou-se um Espanhol pois sozinha não conseguiria auto sustentar-se .

Uma vez ao ano volta a Riga para manter seu apartamento que não quer alugar e trabalha como guia, para ajudar em seu orçamento.

Ela conta que o governo mantém a calefação das casas sem dar a chance de serem desligadas. Isto para garantir a saúde dos mais velhos e da população em geral.

Pois com o frio mantendo-a ligada evita as gripes e a umidade e as doenças.

Como ela mora na Espanha, conta que na Espanha o número de doentes cresce muito, e muitos velhos estão cada vez mais adoentados, pois como a calefação é cara as pessoas desligam ao dormir e acordam com a casa fria e desligam durante a tarde chegando com a casa gelada dando margens as doenças.

Seu contato :

Sinetania@live.ru

371-28265048.

Iniciamos nosso passeio a pé.

Em 1201 quando a cidade foi fundada o rio comunicava o comércio.

Com a chegada do bispo alemão Alberto, que como católico queria catequizar os povos pagãos da Letônia a vida deixa de ser tranquila, pois há uma inaceitável população.

O papa declarou uma guerra santa.

A religião atual é luterana, uma porcentagem pequena é católica.

A escultura da liberdade, que vê-se de todo o centro da cidade, carrega 3 estrelas que significa 3 religiões.

O País passou pelo poder dos Alemães, Polacos Suecos e Russos.

Quando estava no poder da Rússia Riga era muito importante.

A cidade era amuralhada e o rio, na antiguidade fazia as vezes de fosso de proteção.

A igreja de São João, na antiguidade era um claustro, hoje aberta.

Na praça, durante o verão tem música todas as noites.

Passar em uma doceira é uma atração aparte, os doces são lindo muitas vezes com frutas e dizem não serem muitos doces (não provamos).

A catedral construída em 1211, católica, construída pelo Bispo Alberto, em volta os edifícios eram de madeira, pois quando o inimigo chegava eles mesmos queimavam as casas da cidade para suas proteções, pois fazendo uma barreira de chamas o inimigo não se aproximava.

A tradição de enfeitar a árvore de natal iniciou na praça de Riga.

Na igreja católica de São Tiago existe um sino do lado de fora, este tocava em cada execução que havia na praça, e anunciava mais uma morte.

O centro velho da cidade é bastante interessante, é uma mistura de arquitetura inclusive medieval.

Andamos por mais ou menos 2 horas e mortos de fome paramos no restaurante.

Taverna Píer Senna

Tornu iela 4 (In der Jacobs-Kaserne), Riga Látvia

Tradicional e típica, serve peixe.

Da apresentação ao sabor tudo deliciosos.

O único garçom, muito simpático e faz um bom serviço.

Após o almoço o Wilson voltou para casa, e a Rafa e eu fomos à procura do vestido que vai usar no casamento do irmão, nos indicaram o Shopping Podium, bem longe e fora do centro.

Se você gosta de grifes este é um shopping com várias marcas importantes, nesta época tudo em promoção.

Depois ainda, fomos ao Riga Shopping mais longe ainda, a cidade é enorme e tem muitas opções.

Não encontramos o que precisávamos.

Voltamos e fomos jantar no Restaurante de Kay to Riga .

Doma square 8a Doma square 8a, Riga LV1050 Látvia.

O restaurante que está em todas indicações de Riga, como sendo um serviço especial e medieval, não foi nada diferente dos outros restaurantes.

Mas …

Os pratos foram muito fartos e deliciosos.

Enfim vale a pena.

Na manhã seguinte, saímos tranquilamente almoçamos no Caw Blu no centro da cidade e continuamos nossa caminhada.

Andando na Rua Elizabete, passando do lado direito do Radisson Blu, a região tem alguns quarteirões super conservados, que são uma amostragem da arquitetura Modernistas, vale a pena ser visitada pois os edifícios são verdadeiras obras de arte.

O bairro também bastante interessante com vários restaurantes, mais elegantes que dão a oportunidade de fugir do número enorme de turistas.

Além disso, monumentos Art Nouveau são agora reconhecidos pela UNESCO, em sua lista de patrimônio mundial como contribuições significativas para o patrimônio cultural. O centro histórico de Riga, Letônia, com “a melhor coleção de construções Art Nouveau na Europa”, foi incluso na lista em 1997 parcialmente devido à “qualidade e quantidade de sua arquitetura Art Nouveau/Jugendstil e quatro casas de campos de Bruxellas feitas por Victor Horta foram incluídas em 200 como “obras de criatividade humana genial” que são “exemplos excepcionais da arquitetura Art Nouveau brilhantemente ilustrando a transição do século 19 para o 20 na arte, pensamento e sociedade.

Você deve conhecer a madeira nobre Pinho De Riga, pois esta madeira tem origem aqui nos países do norte da Europa, Rússia e Sibéria, o nome é uma referência a cidade de Riga, foi levada para o Brasil pelos Portugueses.

Para os jogadores aqui está prática é liberada, com vários hotéis e casinos na cidade.

Em nosso hotel havia um pedido para que separássemos nosso lixo em plásticos e vidros e determinaram os locais onde deveríamos deixar, observe.

Ao lado do Hotel algumas lojas de grifes, e muitas que funcionam como multimarcas e outetles.

Nesta época tudo com 70% de desconto.

Aproveite.

A cidade é muito agradável.